Diferença entre: subsistema de descida, subsistema de captação e subsistema de aterramento.



A instalação dos Sistemas de proteção contra descargas atmosféricas – SPDA tem como objetivo evitar e/ou minimizar o impacto dos efeitos das descargas atmosféricas, que podem ocasionar incêndios, explosões, danos materiais e, até mesmo, risco à vida de pessoas e animais.


Os sistema de para-raios se dividem em 03 (três) partes principais: subsistema de captação, subsistema de descidas e subsistemas de aterramentos.


Subsistema de captação

Parte do SPDA externo destinada a interceptar as descargas atmosféricas. Na estrutura da edificação, os componentes desse subsistema (componentes estes que podem ser por exemplo: mastro+captor franklin, minicaptor ou terminal áereo de inserção, chapa de alumínio, cabo de cobre nú, dentre outros) devem ser posicionados nos cantos salientes, pontas expostas ou beiradas no topo da edificação (telhado ou cobertura). Um subsistema de captação possui três métodos de cálculo. Estes métodos são descritos no item 5.2.2 da NBR 5419:2015-3 e são eles: 

  • Método das Malhas (comumente conhecido como Gaiola de Faraday);

  • Método do Ângulo de Proteção (conhecido como Franklin);

  • Método da Esfera Rolante (conhecido também como Modelo Eletrogeométrico);

Subsistema de descida

Parte do SPDA externo destinada a conduzir a corrente de descarga atmosférica desde o subsistema captor até o subsistema de aterramento. Este elemento pode também estar embutido na estrutura. Os subsistemas de descidas de para-raios podem ser compostos por cabos de cobre nu com 16mm2, caso a edificação tenha até 20mts de altura, acima disso devem ser utilizados cabos para-raios de cobre nu com 35mm2 ou fitas de alumínio com 70mm2, com todas as descidas interligadas por anéis a cada 20 mts, conforme determina a norma técnica NBR 5419:05.


Subsistema de aterramento

Parte do SPDA externo destinada a conduzir e a dispersar a corrente de descarga atmosférica na terra. Este elemento pode também estar embutido na estrutura. NOTA - Em solos de alta resistividade, as instalações de aterramento podem interceptar correntes fluindo pelo solo, provenientes de descargas atmosféricas ocorridas nas proximidades.


Para elaboração do projeto do Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas, escolhemos o melhor modelo que se adequa à edificação, levando em consideração outros fatores da edificação e obedecendo o quesito segurança, sempre em primeiro lugar. Os métodos mais comuns utilizados na elaboração de projetos de SPDA são: Ângulo reto (Franklin) e Malhas (Gaiola de Faraday). Em todos eles, temos know-how em projetar o SPDA escolhendo o melhor método para proteger a sua edificação.


Gostaria de saber mais? Nos acompanhe no youtube:

Elétrica Academy - Eng. Pablo Guimarães




Para saber mais dicas e conhecer nossos cursos online acesse:

https://www.pabloguimaraes-professor.com.br/cursosonline

51 visualizações
  • Facebook - Círculo Branco
  • Google+ - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

CONTATO

(92) 9 8143-0084 (WhatsApp)

(92) 3016-7001

E-MAIL

SOMOS ASSOCIADOS

Engenheiro Pablo Guimarães - © 2020 - Todos os direitos reservados