Siglas e Definições do SPDA

Atualizado: Out 8


Ja ouviu falar de SPDA? Sistema esse tão importante que, além de garantir proteção à estrutura, salva vidas. Pega papel e caneta, porque isso vai agregar bastante em seu conhecimento. Faça disso seu GUIA BOLSO do SPDA!



  • Barramento de equipotencialização principal BEP - Barramento destinado a servir de via de interligação de todos os elementos que possam ser incluídos na equipotencialização principal.


  • Barramento de equipotencialização local BEL - Barramento destinado a servir de via de interligação de todos os elementos que possam ser incluídos em uma equipotencialização local.


  • Blindagem magnética - Tela metálica, em forma de malha ou contínua, que envolve a estrutura a ser protegida, ou parte dela, utilizada para reduzir falhas dos sistemas eletroeletrônicos.


  • Captor - Elemento metálico disposto em qualquer direção, que são projetados e posicionados para receber as descargas atmosféricas.


  • Classe do SPDA - número que denota a classificação de um SPDA de acordo com o nível de proteção para o qual ele é projetado.


  • Componente de conexão - Parte do SPDA que é usada para a conexão entre condutores ou entre um condutor do SPDA e outras instalações metálicas.


  • Componente de fixação - Parte do SPDA que é utilizado para fixar seus elementos à estrutura a ser protegida.


  • Componente de risco RX - Risco parcial que depende da fonte e do tipo de dano.


  • Componente natural do SPDA - Componente condutivo não instalado especificamente para proteção contra descargas atmosféricas, mas que pode ser integrado ao SPDA ou que, em alguns casos, pode prover a função de uma ou mais partes do SPDA.

NOTA:

Exemplos para uso deste termo incluem:

  1. Captor natural (estrutura como postes, torres e telhas metálicas);

  2. Descida natural (perfil metálicos configurando os pilares de sustentação) estrutura metálica das torres de sustentação dos equipamentos da subestação, armaduras do concreto armado providas de continuidade elétrica;

  3. Eletrodo de aterramento natural (armaduras do concreto armado providas de continuidade elétrica).


  • Conexão de ensaio - Conexão instalada no subsistema de descida, projetada para possibilitar ensaios elétricos e medições em subsistemas do SPDA, que promove o isolamento elétrico entre o subsistema de captação e o subsistema de aterramento.


  • Condutor de equipotencialização - Condutor que interliga partes condutoras ao SPDA.


  • Condutor de captação em anel - Condutor formando um laço fechado ao redor do topo da estrutura e interconectando aos condutores de descida para a distribuição da corrente da descarga atmosférica entre as descidas.


  • Dispositivo de proteção contra surto (DPS) - Dispositivo destinado a limitar as sobre tensões e desviar correntes de surto. Contem pelo menos um componente não linear.


  • DPS ensaiado com Iimp - DPS que em ensaios suporta correntes impulsivas parciais das descargas atmosféricas Iimp com forma de onda típica 10/350 μs. Para linhas elétricas de energia, uma corrente de ensaio adequada Iimp e definida para ensaio na classe I.


  • DPS ensaiado com In - DPS que suporta correntes induzidas de surto com uma forma de onda típica 8/20 μs. No ensaio, exige-se uma corrente impulsiva correspondente a In. Para linhas de energia uma corrente de ensaio adequada In é definida para ensaio na classe 2.


  • DPS ensaiado com onda combinada - DPS que suporta correntes induzidas de surto com uma forma de onda típica 8/20 μs. No ensaio exige-se uma corrente impulsiva correspondente a Isc. Para linhas elétricas de energia uma combinação adequada de ondas é definida para ensaio na classe 3, definido a tensão de circuito aberto UOC 1,2/50 μs e a corrente de curto-circuito ISC 8/20 μs de um gerador de ondas combinadas com relação-limite entre estes parâmetros de 2Ω.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


  • Danos físicos - Danos a uma estrutura (ou a seu conteúdo) ou a uma linha devido aos efeitos mecânicos, térmicos, químicos ou explosivos da descarga atmosférica.


  • Eletrodo de aterramento - Parte ou conjunto de partes do subsistema de aterramento capaz de realizar o contato elétrico direto com a terra e que dispersa a corrente da descarga atmosférica nesta.


  • Eletrodo de aterramento em anel - Eletrodo de aterramento formando um anel fechado ao redor da estrutura, em contato com a superfície ou abaixo do solo.


  • Eletrodo de aterramento pela fundação - Parte condutora enterrada no solo embutida no concreto da fundação da estrutura, preferencialmente na forma de um circuito fechado e que tem continuidade elétrica garantida.


  • Equipotencialização - Conjunto de medidas que visa à redução das tensões nas instalações causadas pelas descargas atmosféricas a níveis suportáveis para essas instalações e equipamentos por elas servidos, além de reduzir riscos de choque elétrico. Tais medidas consistem tipicamente em ligações entre partes metálicas das instalações e destas ao SPDA, direta ou indiretamente (por meio de DPS), envolvendo massas metálicas de equipamentos, condutores de proteção, malhas de condutores instaladas sob ou sobre equipamentos sensíveis, blindagens de cabos e condutos metálicos, elementos metálicos estruturais, tubulações metálicas entre outros.


  • Estrutura a ser protegida - Estrutura para qual a proteção contra os efeitos das descargas atmosféricas é projetada.


  • Estruturas com risco de explosão - Estruturas contendo materiais explosivos ou zonas perigosas.


  • Falha de sistemas eletroeletrônicos - Danos permanentes de sistemas eletroeletrônicos devido aos LEMP.


  • Ferimentos a seres vivos - Ferimentos, incluindo perda da vida, em pessoas ou animais devido a tensões de toque e de passo causadas pelas descargas atmosféricas. Impedância de aterramento convencional - relação entre os valores de pico da tensão

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


  • Instalações metálicas - Elementos metálicos ao longo da estrutura a ser protegida que podem se tornar caminho para a corrente da descarga atmosférica, como tubulações, escadas, armadura de aço da estrutura e peças metálicas estruturais.


  • Ligação equipotencial para descargas atmosféricas EB (Equipotential Bonding) - Ligação ao SPDA de partes metálicas separadas, por conexões condutoras diretas ou por meio de dispositivos de proteção contra surtos (DPS), para reduzir diferenças de potenciais causadas pelas correntes das descargas atmosféricas.


  • Linhas de energia - Linhas que fornecem energia elétrica para dentro de uma estrutura aos equipamentos eletrônicos e elétricos de potência localizados nesta, como as linhas de alimentação em baixa tensão (BT) ou alta tensão (AT).


  • Linhas de sinal - Linhas utilizadas para comunicação entre equipamentos que podem ser instalados em estruturas separadas, como as linhas telefônicas e as linhas de dados.


  • Medidas de proteção - Medidas a serem adotadas na estrutura a ser protegida, com o objetivo de reduzir os riscos.


  • Medidas de proteção contra surtos (MPS) - Medidas a serem tomadas para proteger os sistemas internos contra os efeitos dos LEMP.


  • Nível de proteção contra descargas atmosféricas (NP) - Número associado a um conjunto de parâmetros da corrente da descarga atmosférica para garantir que os valores especificados em projeto não estão superdimensionados ou subdimensionados quando da ocorrência de uma descarga atmosférica.


  • Nível de tensão nominal suportável de impulso Uw - Tensão suportável de impulso definida pelo fabricante de um equipamento ou de uma parte dele, caracterizando a capacidade de suportabilidade específica da sua isolação contra sobre tensões (transitórias). Para os efeitos da ABNT NBR 5419, somente a tensão suportável entre condutores vivos e a terra é considerada.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


  • Perda LX - Quantidade média de perda (pessoas e bens) consequente a um tipo específico de dano devido a um evento perigoso, relativo a um valor (pessoas e bens) de uma estrutura a ser protegida.


  • Probabilidade de dano PX - Probabilidade de um evento perigoso causar danos na ou dentro da estrutura a ser protegida.


  • Proteção contra descargas atmosféricas PDA - Sistema completo para proteção de estruturas contra as descargas atmosféricas, incluindo seus sistemas internos e conteúdo, assim como as pessoas, em geral consistindo em um SPDA e MPS.


  • Pulso eletromagnético devido às descargas atmosféricas (lightning electromagnectic impulse) LEMP - Todos os efeitos eletromagnéticos causados pela corrente das descargas atmosféricas por meio de acoplamento resistivo, indutivo e capacitivo, que criam surtos e campos eletromagnéticos radiados.


  • Risco R - Valor da perda média anual provável (pessoas e bens) devido à descarga atmosférica, em relação ao valor total (pessoas e bens) da estrutura a ser protegida.


  • Risco tolerável RT - Valor máximo do risco que pode ser tolerável para a estrutura a ser protegida.


  • Sistema coordenado de DPS - DPS adequadamente selecionados, instalados em cascata, de tal forma que estejam coordenados do ponto de vista da alimentação para formar um conjunto que visa reduzir falhas nos sistemas internos.


  • Sistema de proteção contra descargas atmosféricas SPDA - Sistema utilizado para reduzir danos físicos devido às descargas atmosféricas em uma estrutura. Consiste nos sistemas externo e interno de proteção contra descargas atmosféricas.


  • Sistema elétrico - Sistema que incorpora componentes de alimentação em baixa tensão.


  • Sistema eletrônico - Sistema que incorpora os componentes de uma instalação elétrica de sinal, por exemplo, equipamentos eletrônicos de telecomunicações, controladores micro processados, sistemas de instrumentação, sistemas de rádio.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


  • SPDA externo - Parte do SPDA composto pelos subsistemas de captação, descida e aterramento.


  • SPDA interno - Parte do SPDA consistindo em ligações equipotenciais e/ou isolação elétrica do SPDA externo.


  • SPDA externo isolado da estrutura a ser protegida - SPDA com o subsistema de captação e o subsistema de descida posicionados de tal forma que o caminho da corrente da descarga atmosférica não fique em contato com a estrutura a ser protegida.


  • SPDA externo não isolado da estrutura a ser protegida - SPDA com um subsistema de captação e um subsistema de descida posicionados de tal forma que o caminho da corrente da descarga atmosférica esteja em contato com a estrutura a ser protegida.


  • Sistemas internos - Sistemas elétricos e eletrônicos dentro de uma estrutura.


  • Subsistema de aterramento - Parte de um SPDA que é destinada a conduzir e dispersar a corrente da descarga atmosférica na terra.


  • Subsistema de captação - Parte do SPDA que utiliza elementos metálicos, com a função de captor, dispostos em qualquer direção, que são projetados e posicionados para interceptar as descargas atmosféricas.


  • Subsistema de descida - Parte de um SPDA projetado para conduzir a corrente da descarga atmosférica desde o subsistema de captação até o subsistema de aterramento.


  • Surto - Efeitos transitórios causados por LEMP que aparecem na forma de sobre tensão e/ou sobre corrente.


  • Tensão no sistema de aterramento - Diferença de potencial entre o sistema de aterramento e o terra remoto.


  • Volume de proteção - Região definida pelo posicionamento dos captores que está protegida contra a incidência direta de descargas atmosféricas.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


  • Zona de uma estrutura ZS - Parte de uma estrutura com características homogêneas onde somente um conjunto de parâmetros está envolvido na taxa de um componente de risco.


  • Zona de proteção contra descarga atmosférica (raio- ZPR) - Zona onde o ambiente eletromagnético causado pelo raio é definido. O contorno de uma ZPR não é necessariamente dado por elementos físicos (por exemplo, paredes, piso e teto). As medidas de proteção como SPDA, condutores de blindagem, blindagens magnéticas e DPS determinam as ZPR.




UFA! Bastante coisa, não é?






Fonte: https://www.crea-pr.org.br/ws/wp-content/uploads/2016/12/protecao-contra-descargas-atmosfericas-SPDA.pdf




Quer saber mais? Acompanhe nosso canal no youtube:

Elétrica Academy - Eng. Pablo Guimarães



Conheça nossos cursos, adentre o mundo do SPDA e se torne um Expert

Clique e saiba mais >>>

https://www.pabloguimaraes-professor.com.br/cursosonline





Gostou do conteúdo? Teremos muito mais no SPDA e Aterramento Experience. Inscreva-se em:

https://spdaeaterramentoexperience.com.br/organico




















105 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo