SPDA em tanques de armazenamento metálicos


Em qual parte da norma fala sobre este assunto? No item D. 5.5.2 da norma brasileira, a ABNT NBR 5419-3: 2015 revisão 2018 descreve pontos importantes sobre a proteção de tanques de armazenamento de combustíveis. Neste item, a norma declara, para certos tipos de estruturas utilizadas para armazenamento de líquidos que podem produzir vapor inflamável ou para armazenamento de gases, que são normalmente considerados autoprotegidos (contidos totalmente dentro de recipientes metálicos, contínuos, com uma espessura de parede superior a 5 mm de aço ou 7 mm de alumínio, sem espaços que permitam centelhamento) e não requerem proteção adicional. A norma indica também que, tanques em contato direto com o solo e linhas de encaminhamento de tubulação não necessitam da instalação do subsistema de captação. Componentes elétricos e de instrumentação utilizados dentro desses equipamentos devem ser certificados para esse tipo de aplicação. Medidas para proteção contra descargas atmosféricas devem ser tomadas conforme o tipo de construção:


Tanques ou contêineres individuais, metálicos, devem ser ligados ao eletrodo de aterramento conforme a seção 5, dependendo de suas dimensões horizontais (diâmetro ou comprimento):


a) Até 20m: duas interligações no mínimo, dispostas equidistantemente no perímetro;

b) Superior a 20m; duas interligações mais uma interligação adicional a cada 10m de perímetro, dispostas equidistantemente.


Para tanques agrupados em pátios, por exemplo, refinarias e pátios de armazenamento, o aterramento de cada tanque em um ponto suficiente, independentemente da maior dimensão horizontal.


Quando dispostos em pátios, os tanques devem estar interconectados. Tipos de proteções para tanques de combustíveis

Devemos estudar os efeitos das descargas atmosféricas em tanques de combustíveis sob três aspectos: as descargas atmosféricas que atingem diretamente os tanques; as descargas atmosféricas que atingem áreas próximas ao tanque e as que atingem os sensores e/ou suas fiações de alimentação e/ou sinal ou próximas a estas alimentações.

Quando uma descarga atmosférica atinge diretamente um tanque, podem acontecer:

  • A condução da corrente da descarga atmosférica por partes metálicas do tanque (inclusive partes do SPDA) sem causar nenhum problema;

  • Perfurações e consequentemente incêndio e/ou explosões;

  • A geração de pontos quentes sem perfuração, mas com consequentemente incêndio e/ou explosões;

  • Descargas disruptivas em pontos críticos do tanque (partes isolantes, sensores, fiações, etc.) de forma a dar início a incêndios e/ou explosões, devido à diferença de potenciais oriunda pela passagem da corrente da descarga ou por efeitos de indução desta corrente;

  • Ao passar por ambiente explosivo (por exemplo, zona 0), iniciar um incêndio e/ou explosões, devido à temperatura do canal da descarga ou efeito corona. (fonte)

A NBR 5419:2015 é rica de informações e você, profissional da área elétrica, que deseja trabalhar com SPDA e Aterramento, deve saber os itens importantes. No ato da sua inspeção, mostrar para o cliente o seu conhecimento aprofundado na norma, é um grande diferencial. São pequenas estratégias como essa que fideliza o cliente em serviços futuros.


PULO DO GATO

Em tanques de teto flutuante, devem existir ligações múltiplas, em intervalos de 1,5m, entre a periferia do teto flutuante e a parede do tanque.




Gostou do assunto? Quer saber mais?

Acesse nosso site no youtube para conferir mais materiais:

Elétrica Academy - Eng. Pablo Guimarães



VOCÊ CONHECE NOSSO CURSO

EXPERT EM LAUDO E PROJETO DE SPDA E ATERRAMENTO?


CLIQUE NO LINK ABAIXO


E FAÇA PARTE DO CURSO MAIS COMPLETO DE SPDA DO BRASIL!

https://engpabloguimaraes.com.br/inscricaospdaeaterramento


84 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo